A cultura do bem-viver

A cultura do bem-viver é um dos pilares de um projeto de país orientado para cuidar de toda sua população e do meio ambiente. Bem-viver implica contar com um sistema econômico de excelência com processos produtivos cuidadosos do meio ambiente. Um tipo de excelência muito diferente que a de maximizar o lucro dos donos do capital. O novo foco é prover satisfações de necessidades fundamentais substituindo o critério do lucro como ordenador do sistema econômico pelo de resolver o que necessita a inteira sociedade. Isto não implica um sistema econômico fraco ou ineficiente, mas um vigoroso e sustentável com um desenvolvimento científico e tecnológico que aprofunde conhecimentos e sirva ao bem-estar geral. Significa deixar para trás uma sociedade onde os dominadores têm ilimitados direitos, e os demais, a obrigação de sofrer suas impiedosas consequências.

Não há bem-viver onde os afluentes ignoram as penúrias dos demais. A cultura do bem-viver enobrece as relações sociais, hierarquiza a honestidade, a dignidade, a solidariedade. É uma cultura de mão aberta que ajuda, não de punho cerrado para oprimir. É uma cultura de paz, de união e equidade, de justiça “justa”, de vozes diversas e não só ecos.

Este o projeto de país desejado: uma construção coletiva que avalia sendas possíveis e esolhe aquela que represente a singularidade de cada sociedade.

Cordiais saudações,

Os Editores   

PS: Nos dá gusto informar da publicação do livro Innocents Abroad, de Juan E Corradi, uma história de duas personagens: um homem e uma casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *