Percepção do que acontece em realidades complexas

Com alguma frequência, as sociedades aceitam o conhecido ainda que lhes seja prejudicial, temerosas ou impossibilitadas de encarar mudanças transformadoras que lhes beneficiariam. Nisso intervém o poder concentrado que manipula opiniões, coloniza mentes e formata subjetividades aproveitando, cabe não ignorá-lo, certas características sociais e individuais que resultam terreno fértil para poder impor sua dominação. Ocorre que, se bem a dinâmica de qualquer sociedade encerre incertezas de natureza ambiental, sanitária, tecnológica, política, demográfica, entre tantas outras, as populações não são adeptas a receber surpresas que afetem seu funcionamento. Poderia se esperar o contrário, que com prudência e firmeza processariam as mudanças internas e de contexto que se vão produzindo transformando-se da melhor maneira possível. O temor de mudar, legítimo ou induzido, se soma ao poder concentrado para facilitar que a dominação se reproduza. 

Os opressores criam bússolas de falsos conhecimentos sustentados enganosamente. Para isso, reduzem ao máximo possível as complexidades que a realidade apresenta. Necessitam proceder com reducionismos e recortes do que acontece para poder impor com impostada precisão seus postulados e perspectivas. Se se levantassem esses reducionismos, os enganos e a desinformação restariam ao descobrimento. Ao encobrir a tensão que existe entre complexidade e precisão de percepção se compromete o processo de esclarecer-nos e esclarecer, impede ver que sem mudanças transformadoras se estendem os sofrimentos.

Se finalmente avançamos, haverá que manter acesos os alertas porque há diversidade de opções, algumas liberam, outras só mudam o tipo de dominação. Nesse esforço, empantanando-se em detalhes e mesquinharias impede encarar os anelos e objetivos mais importantes. Hoje, a impiedosa dupla pandemia sanitária e neoliberalismo apresenta, contraditoriamente, uma oportunidade de sacudir crenças e formas de encarar a realidade. Ao fazer cair véus e enganos cria condições para escolher outros muito diferentes rumos e formas de funcionar. Oxalá prime o cuidado da inteira humanidade e do agredido planeta, nossa Mãe Terra.

Cordiais saudações,

Os Editores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *