Sair da armadilha

O processo de concentração do poder de decisão, que vem de mãos dadas com a desaforada concentração de riqueza, nos levou a uma asfixiante armadilha. Há submetimentos e perigos por todo lugar; prebendas para uns poucos e castigos para imensas maiorias. A trajetória imposta se tornou social e ambientalmente insustentável. Haverá que mudar o rumo e a forma de funcionar para o bem do planeta e da humanidade.

É um momento que exige precaução diante de maliciosos cantos de sereias e trabalhar, em vez, por estabelecer sustentáveis opções. Identificar novas circunstâncias que ameaçam o mundo, desmontar motores que geram concentração, compreender o papel das redes sociais na manipulação de arbítrios e vontades, formam alguns dos pontos de apoio para sair da atual armadilha. Sobre isto versa o presente número de Opinión Sur.

Cordiais saudações.

 

Os Editores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *