Reflexões

Sobre o problema da distribuição do trabalho e dos bens produzidos

O problema da distribuição do trabalho e dos bens produzidos se fez mais grave e mais difícil de ser resolvido. Todos sentimos que o livre jogo das forças econômicas, a tendência desordenada e desenfreada pelas posses e o poder por parte dos indivíduos isolados já não conduzem de maneira automática a uma solução tolerável do problema. É necessária uma estudada ordem da produção de bens, do investimento da força de trabalho e da distribuição das mercadorias produzidas, para evitar a exclusão ameaçadora de forças valiosas e produtivas e o empobrecimento e embrutecimento de grandes massas de população.

Albert Einstein

Sobre o âmbito da economia

A economia é a ciência social que estuda as leis que regem a produção, a distribuição, a circulação e o consumo de bens que satisfazem necessidades humanas. De forma tal que o campo de estudo da ciência econômica não se circunscreve também às relações sociais que se emanam do próprio processo produtivo e o modo em que a acumulação se realiza. A economia é política em toda circunstância, pelo que ambas disciplinas se desempenham simultaneamente na análise e a compreensão dos processos históricos e sociais.

Pablo Caramelo

Sobre para que serve canalizar o ódio a determinados próximos

No marco da globalização, a existência da gente comum é atravessada por inseguranças e medos. Amiúde se canalizam através do ódio não aos que causam seus padecimentos, mas ao próximo ou a determinados próximos. O ódio ao diferente (“heterofobia”) pode ser mais ou menos espontâneo ou conduzido pelas autoridades políticas. Serve para vários fins: desviar a atenção cidadã, focalizar a periculosidade em grupos resistentes, agredi-los com anuência social.

Mario Wainfeld

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *