2019 e o que segue

Uma tradição que alguns praticam e outros não é a de começar um novo ano enunciando certas resoluções a levar adiante, ainda quando com frequência pudessem se deslizar para expressões de desejos ou aspirações. Nosso coeditor novaiorquino-argentino se propõe seguir essa tradição mas, incontrolável seu gênio, deseja primeiro nos comocionar para depois apresentar suas ideias e previsões sobre o que pode suceder no complexo e sempre cambiante cenário geopolítico do mundo contemporâneo. Levanta a pontaria e nos obriga a refletir.

Na Seção Desenvolvimento continua o esforço por desmascarar interesses e privilégios que necessitam se manter encobertos de modo de poder seguir se reproduzindo. Nesta edição se analisa o caso dos lucros extraordinários obtidos pelas grandes corporações. Elas sustentam que são legítimas e às vezes até legais. Vale revisar como surgem e de onde provêm para nos perguntarmos se não existem outras melhores opções.

Na Seção Transformações encontramos uma antiga reflexão de um destacadíssimo autor inglês sobre se nos dá medo pensar. Não é novo o temor de pensar nem tão pouco suas consequências.

Seguem em destaque as Seções Reflexões e Iniciativas.

Este começo de ano combinamos a rigorosidade a que sempre aspiramos com pinceladas de dissimulado humor (ironias, dizem pelo bairro).

Cordiais saudações,

 

Os Editores

Deixe uma resposta